La Poule Au Pot

Na França, faça como os franceses. Era isso que pensava quando fui visitar o país. Depois de muitos anos sendo fã da culinária francesa, queria experimentar o que havia de mais típico: terrine de campagna, moules et frites, (que na realidade é belga, mas eu acho super francês 😊) boeuf bourguignon, tarte tatin, creme bruléé. Os famigerados clássicos.

Qual não foi minha decepção quando, ao ler inúmeros menus dos cafés por onde andava, via algumas opções que passavam longe dos clássicos, e ainda mais longe da cozinha local. Tudo bem que agora entendo um pouco a perspectiva deles, afinal de contas, tudo tem que evoluir, correto? Mas não pude deixar de ficar um pouco frustrada ao ver um cardápio padrão em muitos cafés: todos incluíam salmão defumado, avocado, sushi e hambúrguer, entre o indefectível steak tartar e sopa de cebola gratinada.

Bom, era uma sexta-feira e eu havia acabado de visitar tanto o Museu D’Orsay quanto o Museu do Louvre. Havia dado check em dois dos meus maiores sonhos turísticos e eu queria uma celebração de acordo. Por conta do café da manhã reforçado, não havíamos almoçado e eu não queria de jeito nenhum gastar minhas calorias francesas com algo que não valesse a pena.

Então, veio o Trip Advisor para ajudar. Quando estou sem roteiro gastronômico, utilizo muito o aplicativo para ver quais são as melhores opções num raio acessível. Depois de muito fuçar, algo no La Poule ao Pot deu “match” com minha fome 😊.

O restaurante funciona das 19:00 até as 5 da manhã. Tivemos que dar uma enrolada e esperar o restaurante abrir (turistas, rs). Estava com uma fome que me deixou muito mal-humorada, mas o serviço era extremamente simpático e a comida, melhor ainda.

Sentamos com frio e molhadas de chuva e pedimos uma entrada de cogumelos girolles refogados no alho e óleo. Estava simplesmente divino. A França tem uma capacidade de consumir e identificar os melhores cogumelos, e a textura e o sabor desses ainda estão frescos na minha memória.

Cogumelos girolles. Foto: Mandolina Blog.

Cogumelos girolles. Foto: Mandolina Blog.

Pedimos meia garrafa de tinto para acompanhar. Eu, ao verificar o aplicativo, já vim “brifada” do prato que queria pedir: uma versão do “La Poule ao Pot”. A aparência não favorece muito, pois se trata de meio frango fervido, o que dá uma cara meio desbotada para o pobre galeto. Mas eu sou uma pessoa que não se deixa enganar pelas aparências, e foi um dos pratos mais saborosos da viagem inteira. Minha mãe pediu um prato do menu do dia: peito de pato com uvas e uma espécie de alho-poró. Estava divino.

Minha pedida do La Poule au Pot. Foto: Mandolina Blog.

Minha pedida do La Poule au Pot. Foto: Mandolina Blog.

Peito de pato com uvas e alho-poró. Foto: Mandolina Blog.

Peito de pato com uvas e alho-poró. Foto: Mandolina Blog.

Como não estávamos para brincadeira, eu pedi uma tarte tatin flambada com calvados e minha mãe pediu o que deve ser o melhor creme brullée que eu já provei na vida. A emoção foi tanta que não tiramos fotos.

Esse é um screen shot do insta stories do mandolina. Segue lá: @mandolinablog

Esse é um screen shot do insta stories do mandolina. Segue lá: @mandolinablog

Junto com o café, ganhamos um licor de cerejas com as cerejas juntos. A conta veio alta, mas a experiência foi tão boa e o serviço tão amistoso que o restaurante ganhou prêmio por melhor conjunto da obra de toda a viagem (ganhou até do Alain Ducasse). Ele pode não ser o restaurante mais estrelado de Paris, mas correspondeu a tudo que eu esperava de um café francês e mais um pouco.

Super recomendo!

LA POULE AU POT: 9 Rue Vauvilliers, 75001 Paris, França.