QUANDO SÓ UM HAMBÚRGUER SALVA

Tem vez que a gente está com uma nuvem negra em cima da gente. Às vezes bate aquela crise de identidade de “ó céus, ó vida”, de onde viemos e para onde vamos.

Tem vezes que só quero saber de procrastinar e escutar Norah Jones quieta com meu fone de ouvido.

Mas no meu caso gente, tudo é fome. Bem, quase tudo. Mas depois de sentar apropriadamente e comer uma refeição decente, eu ponho tudo em perspectiva.

Acredito que sempre tenha tido isso em minha vida. Lembro certinho, criança CDF que eu era, fazia lição sozinha, meu caderno era o mais bonito. Mas um belo dia, estava revoltada com a lição de matemática. “Pra quê? PRA QUÊ?” eu pensava. Para que estava fazendo aqueles exercícios, meu deus? Coisa inútil. Uma criança de 8 anos rebelde. Peguei meu caderninho de cálculos, joguei pelo quarto. Lápis, borracha, tudo foi pelos ares. Eram 11:50 da manhã.

Até que serviram o almoço. Tinha minhas comidas favoritas... arroz, cenoura refogada, bife à milanesa. Comi.

E depois voltei.

Recolhi o lápis, a borracha, o caderno. 

Apaguei os cálculos malfeitos, refiz tudo, rsrs.

Pronto. De barriga cheia, a criança CDF tinha voltado aos eixos.

E foi assim essa semana. Dei um belo azar e peguei muito trânsito a semana inteira para voltar para casa. E, na expectativa de chegar logo, ficava adiando o lanchinho porque achava que ia perder a fome antes do jantar. Quando via, tava de mau humor... só faltava cuspir fogo no carro da frente.

Eu sou meio contra relacionar sentimentos com comida. Mas somos todos humanos, né? Às vezes não tem muito jeito. Um hambúrguer maravilhoso, por exemplo, tem o encanto de me fazer não levar a vida tão a sério. E isso me trouxe a ideia de fazer esse texto.

Em post anterior, já falei alguns dos meus hambúrgueres prediletos nos Estados Unidos. Agora, em vez de fazer outro post dos hambúrgueres de São Paulo, decidi por uma receita.

Lanches em geral são uma ótima desculpa para reunir os amigos, e uma receita relativamente amigável de fazer. Na chácara de amigos queridos, inventamos a moda de fazer a carne, passando pelo pão, a maionese, o molhinho de tomate à la “Seu Osvaldo”. Diversão pura.

Se você dá preferência para fazer em casa, pode optar por versões com menos gordura e sal, ingredientes frescos e livres de conservantes. E fora que a gente pode pôr o que quiser, não é?

Então, esse fim-de-semana, faça a hamburguerterapia. Para os mais indulgentes, fazer com tudo o que tem direito. Para os mais saudáveis, que tal fazer um pão integral, um hambúrguer de fraldinha grelhado e sem gordura? Dá para agradar até vegetarianos se você substituir a carne por um belo shitake na brasa. A rede Five Guys dos Estados Unidos faz isso, e é uma delícia.

Hambúrguer feito pelo tio e montado pela tia.

Hambúrguer feito pelo tio e montado pela tia.

Abaixo, as minhas receitas. E algumas fotos - as fotos são de minha autoria, alguns eu fiz, outros não, mas todos eu comi =).

Nossa produção própria caipira,

Nossa produção própria caipira,

Hambúrguer

Eu gosto de hambúrguer simples. Para isso, moa uma carne de seu gosto (patinho, fraldinha) com 20% do peso com barriga de porco. Esse é o jeito que já fizemos e vi muita gente fazer. Modelar hambúrgueres de 150 a 200 gramas. Apertar bastante para que a carne não se desmanche ao ser grelhada. Temperar com sal somente depois de por na grelha ou na frigideira, para que a carne não perca todo seu líquido e fique seca, além de pimenta-do-reino moída na hora.

Pão de Batata

Esse pão fiz porque queria um pão mais fofinho para experimentar com o hambúrguer. É muito legal de fazer, porque assim podemos comer a carne com um pão que acabou de sair do forno. Por ser de batata, faz com que o lanche fique extra "nutritivo" rsrs, ou seja, só dá para comer mais de um quando bate muita fome.

Ingredientes:

  • 400 g de farinha de trigo
  • 200 g de batata cozida
  • 30 g de fermento biológico fresco
  • 50 g de açúcar
  • 5 g de sal
  • 70 g de margarina
  • 2 ovos (1 para a massa, 1 para pincelar)
  • 50 ml de leite

Modo de Preparo:

Meça os ingredientes. Cozinhe as batatas com casca. Com as batatas ainda quentes, retire as cascas e passe pelo espremedor de batatas.

Método de esponja: misturar o fermento com metade do leite e a mesma quantidade do líquido de farinha de trigo (mesmo peso na balança). Deixe levedar por 20 minutos ou até espumar em uma vasilha coberta com plástico.

Acrescente o restante dos ingredientes, menos o restante de leite, e sove até a massa ficar homogênea, acrescentando o leite aos poucos.

Deixe a massa descansar numa vasilha coberta com filme plástico por 10 minutos. Corte em pedaços e modele. Deixe crescer até dobrar de tamanho.

Finalize o pão com ovo misturado com um pouquinho de água. Asse em forno aquecido a 190 graus. Não asse em forno com temperatura muito baixa para não criar uma casca dura.

Dicas: uma vez fiz cada pão de hambúrguer com 100 gramas de massa e ficou enorme. Por isso, recomendo de 50 a 75 gramas de massa para cada bolinha. Essa receita acima dá 8 pães com 75 gramas cada. Esse pão tem um aspecto super caseiro, não é de hambúrguer, ok?

 Maionese Verde

Maionese caseira tem um sabor mais neutro que a industrializada, fora que a gente pode personalizar a nosso gosto. Lembre-se de usar ovos frescos e um liquidificador SUPER limpo e super seco para não correr o risco da maionese desandar. Eu sempre dobro a receita.

Ingredientes

  • 1 ovo
  • 1 colher de sopa de vinagre ou limão
  • 1 colher de chá de mostarda
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • 2 colheres de sopa cheias de cebolinha picada (ou outro tempero que você queira).
  • Óleo até dar o ponto (eu separo no mínimo uns 300 ml para cada receita)

Modo de preparo:

Em um liquidificador, coloque o ovo, adicione o vinagre, a mostarda, sal e pimenta e um pouco de óleo. Bata até ficar um líquido homogêneo. Adicione o óleo em fio até a mistura adquirir consistência de maionese (preste atenção, o barulho do liquidificador muda e o óleo começa a ficar na superfície da maionese). Armazene na geladeira até a hora da utilização e tenha cuidado pois maionese é um produto bem perecível. Voilá!

Monte seus hambúrgueres com maionese, salada, queijo cheddar, tomate ralado. Sua imaginação é que manda. Evite passar maionese dos dois lados do pão para que ele não fique escorregadio, e quanto menos ingredientes você usar, mais você vai sentir o gosto de cada elemento. Faça e depois me conte!