QUICHES

Todo mundo tem aquela receita infalível, carta na manga, que faz o maior sucesso com os amigos e faz você se sentir O mestre-cuca, não?

Às vezes você pode nem saber cozinhar direito, mas eu sugiro que você tenha um prato especial, uma especialidade que os amigos falem tipo "humm... traz aquela sua carne?!?!".

Eu tenho um carinho especial por receitas de quiche porque acho que fica uma refeição linda e porque foi um dos primeiros pratos que aprendi a cozinhar. Há a receita tradicional de quiche  e há uma receita modificada que eu inventei, que torna algumas etapas mais fáceis ou mesmo deixa a digestão mais leve, rs - quiche não é um prato exatamente light. Como eu tenho alergia à lactose, meu gosto pelas quiches é um tanto quanto conflitante com a minha saúde, e sempre que possível tento dar uma amenizada na situação. A receita tradicional leva creme de leite, e apesar de ser uma delícia não posso nem passar perto. Eu adiciono leite, que é um pouco menos “perigoso” para mim.

Por último, quiche é uma ótima opção por ser extremamente versátil com seus recheios, fica ótima mesmo servida fria (extremamente conveniente para quando inventamos jantares em dia de semana) além de ser uma refeição mais democrática porque todos gostam.

Segue aqui minha receita ULTRA-MEGA-MASTER-BLASTER explicada (não se acostume com essa mamata hein) e sugestões de recheios!

Minhas quiches! :)

Minhas quiches! :)

QUICHE LORRAINE PARA OS SEM-ESPECIALIDADE-NA-COZINHA - minha receita adaptada

Utensílios especiais que você talvez precise usar:

  • 1 forma de fundo removível
  • Papel alumínio
  • Rolo de macarrão

Massa:

  • 200 gramas de farinha de trigo
  • 100 gramas de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 1 ovo pequeno, ou 1 gema se o ovo for muito grande.
  • 1 colher de chá de sal
  • Um pouquinho de água gelada se necessário

Modo de preparo:

Cortar a manteiga em cubinhos e colocar em uma tigela. Adicionar a farinha peneirada com o sal, e com a pontas dos dedos, misturar a manteiga com a farinha até formar uma farofa. Adicionar o ovo e amassar o suficiente para dar liga. Caso ainda não dê liga, adicionar na massa uma colher de água gelada por vez. Tomar cuidado porque a massa da quiche não é para ser elástica nem ser muito manuseada porque senão ela não fica crocante.

Assim que ela der liga, embrulhar em um filme plástico e deixar descansando na geladeira enquanto faz as outras etapas. Quem quiser pode fazer a massa um dia antes para evitar muito trabalho no dia do preparo. A massa resiste bem se bem coberta com filme plástico.

Depois de descansar na geladeira por uma meia hora, está na hora de abrir a massa. Essa massa é normalmente muito quebradiça, por isso temos que ter uma dose extra de paciência aqui.

DICA IMPORTANTE: aqui não recomendo abrir a massa com o rolo de macarrão, apesar de ser uma alternativa viável. Por quebrar facilmente, abrir a massa com as mãos direto na assadeira deixa o trabalho menos “frustrante” e a massa perceptivelmente mais crocante. Experimente! Caso não tenha muito paciência, sugiro pegar um pedaço de filme plástico limpo (pode ser um saco plástico de farinha de trigo aberto com a tesoura) e abrir a massa com um rolo em cima desse plástico. Assim, o transporte para a forma fica mais fácil, e menos sujeito a “acidentes”. Só não estique muito a massa, porque fazer isso para economizar faz com que ela encolha muito na hora de assar.

Aqui vai uma parte que demorei a entender quando era criança: precisamos pré-assar a massa para não ficar crua com o recheio líquido da quiche. Para isso, abrimos a massa na forma de fundo removível (lembre-se de que a quiche não tem massa para cobrir, portanto não precisa economizar massa para decoração, etc.), cobrimos com papel alumínio e adicionamos algo que faça um peso em cima. Por exemplo: feijões. Isso mesmo.

Precisamos cobrir todinha a massa com papel alumínio para que os feijões não grudem nela e para que fique fácil de retirar depois. Depois de coberta, a massa vai para o forno (sem recheio mesmo) a 180 graus para pré-assar, por uns 20 minutos ou mais se necessário. O ponto ideal para a massa é quando ela está com aspecto de seca, e quando suas bordas estão quase douradas. Mais que isso ela queima, menos que isso ela fica crua. Assim que ficar pronta, retirar do forno.

Conseguiu??? Ufa!! Agora vamos para o recheio!

Recheio

  • 1 caixinha de creme de leite
  • 3 ovos
  • Sal, pimenta e uma pitadinha de noz moscada (pitadinha bem pequena mesmo)
  • 1 xícara e meia de queijo gruyére ralado (se não tiver pode substituir por parmesão ou mussarela ralada)
  • 150 gramas de bacon picado já frito (experimente colocar numa tigela de vidro forrada com papel toalha, e colocar para fritar por uns 8 minutos no micro-ondas. Fica perfeito e faz menos sujeira!)

Modo de preparo:

Misturar o creme de leite com os ovos em um pote, com um garfo. Adicionar metade do queijo e metade do bacon e misturar. Temperar com pouco sal (lembre que o queijo e o bacon são salgados), pimenta do reino e noz moscada a gosto. Despejar essa mistura líquida sobre a massa já pré-assada. Por cima, espalhar o restante do queijo e o restante do bacon para formar uma crosta douradinha quando assar. Levar ao forno por 40 minutos a 180 graus, ou até o recheio endurecer e o queijo derreter.

DICA NÃO TÃO IMPORTANTE: às vezes o recheio pode vazar da forma enquanto assa, seja por excesso de recheio ou porque a massa rachou. Não tem problema, mas é bom colocar uma segunda assadeira cheia de água no degrau abaixo da quiche (mas sem tampar o fogo), para evitar sujar seu forno ou ficar aquela fumaceira na cozinha.

Outras sugestões de sabores:

Você pode aproveitar a base do recheio (creme de leite, ovos, sal, noz moscada e pimenta) e adicionar outros recheios:

  • Aspargo cozido e queijo parmesão
  • Alho-poró refogado com damasco
  • Cebola refogada com queijo gruyére
  • Shimeji e shitake refogados com shoyu e cebolinha
  • Pêra com gorgonzola
  • Pimentão vermelho assado, gorgonzola, alcaparras e azeitonas pretas
  • E o que mais você quiser!

Alternativa para receita de recheio:

Minha receita é basicamente um bechamel mais espesso. Facilita, porque como já é cozido, é só esperar o queijo dourar para assar. O outro recheio demora muuuuito mais para ficar pronto! Essa receita você precisa ser meio ninja. O utensílio mais importante é uma colher de pau da boa, porque você vai precisar mexer bastante para não empelotar. A opção é usar um fouet, mas sempre acho uma opção meio frescura demais e bem difícil de lavar depois. Vamos lá:

  • 2 colheres de sopa manteiga
  • 1/4 de cebola picada
  • 2 colheres de sopa não muito cheias de farinha de trigo
  • 3 xícaras de chá de leite quente (no micro-ondas)
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • Noz moscada a gosto

Numa panela, derreta a manteiga e adicione a cebola. Refogou? Então adicione a farinha e mexa bem rápido. Depois de fritar um pouco a pasta de manteiga com farinha, adicione o leite quente aos poucos (deixar ele quente diminui um pouco o “empelotamento”), e mexa pra valer, em círculos. Vale pedir ajuda para outra pessoa ir adicionando o leite enquanto você mexe. Colocou todo o leite e ele evaporou? Pode colocar mais se quiser. Ao dissolver toda a pasta, deixe ferver (sempre mexendo) até engrossar. Engrossou? Experimente, coloque sal, pimenta-do-reino e noz moscada. Lembre que é para ficar com uma consistência bem mais grossa do que um molho branco. Depois, deixe esfriar e coloque na quiche como se fosse o recheio líquido e adicione os pertences tipo bacon, etc. Asse até dourar o queijo.